Google+ Followers

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Prece de ateu

Laranja lima em sua boca
Derreti, tornei-me teu
Um furacão a me puxar
Brisa da noite, prece de ateu.

Meu coração clama esse sossego
O amor me roubou de mim
Depois de desfazer-me
Lençol freático sugado
Água clara, Prumirim.

Escuto o teu tormento
Alma vazia na cama feita
O que é passado está a frente
Na morte, a vida é mais perfeita.

Ponho-me enfim sob teu julgo
Caio aos pedaços, desmorono
Teu peito é cova, meu tempo é seu
Em ti descanso o eterno sono....



Nenhum comentário:

Postar um comentário