Google+ Followers

domingo, 5 de março de 2017

Flores do quintal

Loucura...abrupta
Insanidade!
Os vivos clamam
Os mortos:
pedem passagem.
No descarrilamento
Os passageiros retornarão
É a verdade submersa
Nessas horas cruas
Nos ternos baratos
Nas flores de quintal.

O mais belo esvai-se
Assaz demente
Doente,
Da miséria do mundo.
Sobra o veludo nas mãos
Esperanças nos vitrais
Orvalho nos varais
E dentro da nossa inocência
Ainda estamos vivos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário