Google+ Followers

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Silêncio de fim

Passo apressado pelo mundo:
Não sei se um dia vou ter tempo
Para ter tempo a perder.
As diligências são todas
Em tudo na vida a inquietação
E no fim, tudo acaba
Em um profundo silêncio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário