Google+ Followers

terça-feira, 17 de maio de 2016

O quê eu te digo

O quê eu te digo
São palavras que não saem da boca
São meus olhos pretos
Meus cílios longos
Que a perseguem sem pudor
No meu olhar libidinoso
Vendo-te passar por mim
Como um suspiro
Despudorado de belo
Que amo calado
Como um réu não-confesso.

Amo-te porquê nego-te.
Invento em mim teus sorrisos
Teu perfume... Reinvento
Cada segundo de sorrisos largos
E cada cena de amor não vivido...

O rio corre de nós: a vida!
Veja quem voa à noite:
São tuas asas que vagueiam
Por entre as árvores, por mim...
E o medo é branco, a pele nua
A noite trás os ósculos
O dia, o tom da imperfeição
Remorso de felicidade
Quando o normal me é a tristeza.









Nenhum comentário:

Postar um comentário