Google+ Followers

quarta-feira, 6 de julho de 2016

I - Autopoemas em série

(Re)Côncavo sobre mim
Meus olhos de ver mais tarde
Peito de quem ama e sente o mundo
Não cabe em corpo de vaidade...

A força expande, aplaina o sorriso
Chamado tempo, corre descalço
Na cidade, no asfalto quente
Dança de pé no chão, ri quase falso.

Delgado, melindroso, expansivo...
Olha o céu e aquieta. Olha a hora:
Atraso! Mais alguns minutos
Deixa tudo para amanhã
O agora é só um acaso...


Nenhum comentário:

Postar um comentário