Google+ Followers

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Poetizar

Esta poesia que não me vem à mente
Que não faz louvor aos elementos da natureza em nada
Nem ao canto das aves pela manhã
Nem ao som da água do rio fluindo serra à baixo
Nem ao chiar das árvores quando passa o vento
Nem ao som dos animais correndo ao ar livre...nada!

Esta poesia que não possuo
Que não tem palavras dentro dos homens
Que é incompleta, incompreendida
Dita pertencida aos grandes mestres - homens também,
Esta poesia bandida que me foge à mão quando a escrevo
Que me foge à boca quando a declamo
Que me foge ao peito quando a quero sentir...

Esta poesia que mal imagino
Não é uma poesia, nem eu sou poeta.
Nunca houve natureza traduzida em palavras
Nem sentimentos, e nem horas, e nem momentos,
Nunca houve poesia no meu poetizar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário