Google+ Followers

terça-feira, 17 de março de 2015

Palavras atravessadas

As palavras caladas cochicham.
Traçam planos num papel em branco
Escravisam lápis, canetas, poetas...
Aparece e desaparecem
Não escreve e nem descrevem,
Circunscrevem, dilaceram
Sentimentos e sentidos, a semântica das coisas.
As palavras são labirintos de se perder
São como ratos acuados, perigosas
Traiçoeiras, Ardilosas e dóceis, muitas vezes.
Só os tolos acreditam ser letrados
Mas apesar de tudo, há quem se dê bem com elas
E por toda a vida são enganados.
Palavras não amam, não tem nervos
Não tem coração
Palavras são meio prato de comida
Para os poetas e escritores
Matam a fome, por hora, mas não saciam.

Um comentário: